Notícias e Publicações
2016/21/09
Publicações Económicas

Estudo sobre as Insolvências na Polónia: As insolvências diminuem num momento de crescimento económico

Estudo sobre as Insolvências na Polónia: As insolvências diminuem num momento de crescimento económico

 

  • A economia na Polónia está a abrandar este ano, apesar do rácio de crescimento se manter na percentagem razoável de 3,2% para 2016, depois de 3,6% em 2015.
  • Os negócios estão a beneficiar das condições macroeconómicas.
  • Os processos de insolvência e as reestruturações diminuiram cerca de 14%. A Coface prevê novas melhorias no futuro, com o número de processos a diminuir em 2016 e 2017.

 

As empresas na Polónia continuam a beneficiar do ambiente macroeconómico positivo, com uma forte procura interna e externa. O abrandamento no crescimento que está a ocorrer este ano é causado pelo enfraquecimento do investimento (que diminuiu cerca de 3,6% face ao ano anterior, no primeiro semestre de 2016). Esta situação deveu-se em parte ao atraso no arranque dos investimentos co-financiados pela União Europeia, no âmbito do novo orçamento financeiro. Outros factores foram os riscos internos e externos, incluindo possíveis alterações na legislação, flutuações nas taxas de câmbio e as eventuais consequências do Brexit.

 

números de insolvência mais baixos devido a nova legislação

O número de insolvências tem vindo a decrescer desde 2014. No primeiro semestre de 2016, foram registados 328 processos de insolvência  - um decréscimo de 14,1% em comparação com o ano anterior. A nova legislação, introduzida este ano, estabelece alternativas aos processos de insolvência. Os novos procedimentos de reestruturação são susceptíveis de se tornarem ainda mais utilizados, do que o observado no segundo trimestre deste ano.

 

“Esta tendência decrescente na insolvência das empresas irá continuar ao longo dos próximos trimestres. No entanto, o paradigma está a mudar – há menos insolvências mas mais processos de reestruturação, explica Grzegorz Sielewicz, economista da Coface para a região da Europa Central e de Leste. “Os novos processos de reestruturação, implementados este ano, têm vindo gradualmente a ganhar popularidade como solução para as empresas que lutam com dificuldades de pagamento. Agora, há uma maior probabilidade das empresas regressarem à sua actividade, ao invês de fracassarem.

Embora a Coface preveja uma redução de 8,9% nas insolvências e reestruturações, no final de 2016, esta estimativa pode ser afectada pelo crescimento mais acentuado do que o previsto dos processos de reestruturação. É expectável que os processos diminuam cerca de 4,8% em 2017.

 

 

o consumo privado na polónia é o principal motor de crescimento

 

O sólido crescimento económico na Polónia é principalmente impulsionado pelo consumo privado. Apesar do país estar a enfrentar um abrandamento nos fundos provenientes da União Europeia, a contribuição do consumo privado irá intensificar-se este ano – especialmente com as contínuas melhorias do mercado de trabalho. A taxa de desemprego na Polónia desceu para um nível nunca antes visto nos últimos 25 anos, os salários continuam a registar recordes de crescimento e a inflação continua baixa. Este ambiente significa boas perspectivas para o sector do retalho.

 

Os dados sobre a estrutura económica na Polónia demonstram que o consumo privado contribuiu com uma participação para o PIB mais elevada do que as exportações –o consumo privado a contribuiu com 58% do PIB do ano passado. Uma análise correlacional também revela que o consumo interno tem um impacto maior do que as exportações no nível de insolvência das empresas na Polónia.

 

Todavia, a rentabilidade dos negócios está ser reforçada por operações de negócio nos mercados estrangeiros. As perspectivas são particularmente boas para os fabricantes de produtos com elevada procura externa. Estes sectores incluem o automóvel, o mobiliário, linhas brancas e segmentos de TI.

 

Simultaneamente, as empresas directamente implicadas no aumento da procura interna, estão a experienciar um aumento de lucro. Os grandes retalhistas estão agora sujeitos a uma nova carga fiscal, implementada a 01 de Setembro de 2016. Contudo, isto deverá de alguma forma ser compensado pelo aumento das despesas dos consumidores. É expectável que o consumo das famílias seja um motor de crescimento fundamental na economia polaca ao longo dos próximos trimestres. O panorama das insolvências deve, portanto, assistir a novas melhorias à medida que a nova legislação de reestruturação ajuda as empresas que sofrem de problemas de liquidez a regressar efectivamente às operações de negócio.

 

 

descarregue a publicação 
  • O crescimento abrandou mas continua sólido
  • Barómetro de insolvências
  • Análise sectorial
  • Flutuações na procura externa e a sustentabilidade do consumo das famílias
Transferir esta publicação : Estudo sobre as Insolvências na Polónia: As insolvências diminuem n... (3,23 MB)

Contacto


Para mais informações:

Cláudia MOUSINHO
Tel. (+351) 211 545 408
Mail claudia.mousinho@coface.com 

Início
  • Portugese